Páginas

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Mas eu ainda não falei tudo!

E não dá para falar mesmo.

1 mês que a "Dinda Issa" foi morar longe, e Samuca quis contar o que tem feito por aqui.
No momento estamos vivenciando o 1º amor.

E está uma graça.
Raissa, este vídeo é prá vc.

*perdoe, a qualidade e o enquadramento ruim, fiz com o celular.



sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Novos Rumos

Estou namorando uma nova escola para o meu filho.

Fui visitá-la com o coração aberto, pois sei que ela é bem diferente de tudo o que eu conheço  sobre educação infantil.
Na primeira visita, foi uma alegria, mesmo sem aulas, achei o ambiente incrível. É uma casa, nem pequena, nem grande, confortável e acolhedora.

Na segunda visita, me encantei de vez. É um jardim de infância, para ser criança! Com pão assando no forno, cantigas de roda, brinquedos com materiais naturais, horta, tanque de areia e balanço. Turmas pequenas e educação que respeita o tempo da criança, sem intelectualização precoce.

Enfim, um sonho.

Mas porque eu não estou calma, e segura de que escolhi o lugar certo para o meu filho?

Porque tenho medo.
Na verdade, pânico de fazer a escolha errada.

Lembra que visitei 9 escolas, antes de matricular o meu filho a 2 anos atrás? E depois de muita indecisão e angústia, acabei matriculando ele em uma que eu não achava um opção viável, por haver incompatibilidade de gênios? Pois é, a incompatibilidade só aumenta e as angústias estão gerando ansiedade para o pequeno Samuca. Está mais que na hora de mudar, e eu tenho que enfrentar isso, mas porque tanta resistência?

E eu volto a mesma tecla: ao medo! Medo de estar ficando alternativa demais. Medo de optar por uma educação "diferente" para o meu filho e ele ficar a margem no futuro. Medo de não saber socializar bem com a comunidade fora da escola....
Enfim, MEDO.

Mas eu não quero me paralisar. E se eu puder oferecer o que acredito que seja o melhor para o meu filho agora, tenho que encarar esta alegre opção. Que venha 2013.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Samuel e o presente Lyonense

Uma das minhas maiores motivações para voltar a escrever aqui no blog, sem dúvida é atualizar a "Dinda Issa" que foi morar em Lyon. Ontem chegou um presente Lyonense, e como este é o primeiro presente que ela dá e que não vê ele abrir, resolvi registrar.

Prá você Raissa, brigadão, adoramos!
Te amamos.
Beijo Grande!


quarta-feira, 3 de outubro de 2012

20:13

Samuel: -Manhê, o que a gente está fazendo aqui parado?
Eu: -Porque filho? O que você quer fazer?
Samuel: -Sei lá, quero comer.
Eu: Hum.
     - Pode comer o lanchinho da escola que voltou, se quiser, está ali naquele potinho.
Samuel: - Não mãe! Eu quero algo Saudável

Eu recolho minha cara de espanto e digo: -O que você quer de saudável?
Samuel: Arroz com feijão.

:)

Choquei.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Eu acredito

Haha, 
Estou para retomar com o blog tem um tempão, mas sempre vem a desculpa do cansaço, e os posts vão ficando para trás.
tanta coisa aconteceu nestes últimos meses, que nem tem como expor aqui.
Resumindo: Nos últimos 5 meses Samuel fez duas viagens internacionais, melhorou na natação, começou a capoeirar, continua com suas demandas escolares, e cresceu. Como cresceu!
Mas o que me leva a risada do inicio do post, é que estou naquela "VIBE" emagrecedora pré verão, e vejo este post aqui, e vejo que esta energia primaveril me persegue a séculos, mas eu ainda acredito nela.

Que bom!

Meu projeto primaveril começa dia 14/09 e vai até dia 22/12, início do verão. Já comecei a tomar algumas atitudes cuidadoras como marcar médicos, renovar plano da academia, e planejar coisas positivas. Vou escrever sobre elas aqui.

E o peixinho vai retomar sim, pois temos muitas, muitas coisas para contar, e temos uma leitora especial que vai ficar longe do "muleke" por 9 meses e que precisa se atualizar das traquinagens samuelísticas.

Hola, Buenos Aires

Hy, Mickey!



quinta-feira, 29 de março de 2012






Existe algo mais frágil que o nascimento?
São tantas as possibilidades que chega até a assustar. 
Meu vizinho foi encontrado morto esta semana. Sozinho, em seu apartamento.  Não sou tão apegada assim à vida, embora fique com medo de perder as pessoas que eu amo. Não pela morte em si, mas sim por não ter mais elas comigo, atravessando a vida.

Fiquei pensativa, tive que ligar e falar sobre o assunto. Fiquei percebendo que deixando o blog de lado, excluindo minha conta do facebook, talvez eu esteja me isolando um pouco também. E fiquei com medo.
Quero ficar sozinha, não.

sexta-feira, 2 de março de 2012

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O melhor lugar do mundo e aqui, e agora.


Pesadelos/ Insônia

Querido filho, mas uma noite que estou sem dormir pensando nas suas mil possibilidades.

As vezes fico me cobrando para ser melhor mãe possível para você, e acabo não saindo do lugar.

Na verdade, além do caso "escolinha", hoje, me senti péssima quando lhe, prometi castigo se continuasse me beijando. (!)

Pois e, pode parecer estranho, eu mesma me perco em minhas cobranças e esquisitices, e sei, que lá, na adolescência eu vou clamar por um carinho, nem que seja de levinho...

Mas acontece que as vezes eu preciso ficar só. E você cresce demais. Rápido demais. Não posso nem parar para piscar.
Quando me acostumo com o Samuel de hoje, você, vem com novidades e volta a ser um desconhecido.

Tão estranho que quase, me lembra os enjôos da gravidez. Daquele desconforto arrebatador de ter o infinito ao alcance dos dedos.

Bom, eu só quero dizer que te amo. E ponto. Mesmo não sendo o modelo perfeito que, me cobro ser.


quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Estanos vivos.


E relativamente bem, se não fosse esdta melancolia de fim de ano que me assola de uma forma arrebatadora.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Meu muro das Lamentações - escolinha parte 126.873.690

Samuca em seu 1º dia de aula

Fiquei muito tempo sem postar para não parecer reclamona.
Acontece que eu sou reclamona, e rabugenta.

E tem sido libertador perceber e aceitar isso. O bom é que eu não preciso mais ser sociável com as outras mães, e embora eu tema o que isso acarretará na falta de vida social do Samuel, eu sigo em frente sem aquela briga para me encaixar. Ou seja, está tudo quase ótimo. O problema é a escola.

Ai, desculpe, mas não dá para confiar em uma escola que prefere promoção a educação concreta, e eu vou seguindo quase que enlouquecendo neste ritmo.

Que bom que as férias estão logo ali.
E eu vou poder "deseducar" o Samuca em um mês ao meu bel prazer.

O_o

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Coragem Baby, coragem!

Eu me lembro de sair das consultas com a Pediatra que participou do parto do Samuca sempre triste. Não sei nem bem o porque eu resiti bravamente a ficar com ela até ele completar 1 ano. Lembro que saía de lá arrasada, pois ela não me ajudava como ou gostaria. Tirava um pouco do "meu poder" quando sugeria complementos, aleitamento misto, ou falava mal das minhas papinhas. Eu não sou nenhuma mestre cuca, mas me esforçava de verdade.

O tempo foi passando a luta foi ficando difícil e acho que fui deixando de lado a educação alimentar do Samuca.

Tem  cerca de 1 mês que o levei em uma homeopata que me perguntou coisas do meu filho que eu não soube responder. Me senti estranha e vi que estava sobrecarregada de ficar com ele, mas não estava usando este tempo de forma muito produtiva.
Me senti arrasada de novo, mas de uma forma boa,  motivadora.

Se fosse em outra épocas eu teria fugido, mas resolvi abraçar o tratamento proposto e cuidar de forma mais amorosa do meu filho. O desespero faz isso. Samuca só tem três anos e eu observo várias coisas que eu não gosto na alimentação dele. Talvez porque somos muito parecidos, e comida é definitivamente a minha "pedra no sapato".
Samuca ganhou dieta para aprender a comer e eu para ensinar a comer. Depois de várias indagações e questionamentos sobre o impossível, ela só me disse: coragem Raquel, coragem.

Vamos lá.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Cadê o bebê que estava aqui?






Hoje estava fazendo uma atividade rotineira, passando umas fotos para o computador, quando em uma das pastas me deparei com esta foto.

Pois é, nem parece que este é o meu atual Samuca. Na verdade nem parece que o meu atual Samuel já foi um menino assim. Bebê. Meu coração se enche de amor quando eu vejo uma foto antiga. Não que eu não o ame hoje, pelo contrário, mas é que nessa fase aí (uns 9 meses) era só alegria. Eu não me dava conta,lógico, mas era.

Sem birras, sem manhas para dormir ou malcriações. Brigas para comer, para me ouvir, para tomar banho...
Era só amor e expectativas.
Hoje é diferente. Primeiro os cuidados, o falar de novo mil vezes a mesma coisa, colocar de castigo, ser durona, e amar.

Puxa, quase me sinto uma megera quando olho estes olhos amendoandos e penso que já os coloquei de castigo, mas sei que daqui a algfuns anos vou achar esta fase fácil.